Buscar
  • Requião

Caravana mobiliza Guarapuava em apoio a Requião

Movimento reuniu centenas de lideranças, representantes sindicais, entidades e de organizações sociais na Câmara Municipal.

Fotos Eduardo Matysiak

Em mais uma noite de grande entusiasmo e esperança, lideranças de diferentes partidos, deputados e vereadores, representantes sindicais, entidades e movimentos sociais estiveram reunidos em apoio ao nome de Roberto Requião para a construção de uma grande frente combativa para as próximas eleições estaduais. A cidade de Guarapuava recebeu o movimento de braços abertos e demonstrou que, a cada encontro, a caravana vai ganhando mais força e representatividade no Estado do Paraná. São pessoas que sonham com um Estado melhor, com projetos e políticas públicas formando um programa plural que atenda igualmente as necessidades de toda a população.

Para abrir o evento, o deputado estadual e presidente do PT do Paraná, Arilson Chiorato, falou sobre a força e a esperança que esta Caravana representa neste momento difícil da realidade brasileira.


“É a retomada do desenvolvimento do Paraná, em defesa de todos os paranaenses. Viva essa pluralidade, pois ela representa um povo que quer um Paraná melhor. Chegou a hora do Paraná ser feliz de novo a partir da história de vida, da experiência e do legado de políticas públicas defendidas pelo Requião”.

Por sua vez, o líder do movimento dos dissidentes do MDB, advogado e economista João Nieckars, comemorou o retorno dos encontros presenciais, mesmo que com algumas restrições de distanciamento social impostos pela pandemia de Covid-19, mas ressaltou que com todos no mesmo ambiente a esperança floresce.


“É uma libertação estar aqui com todos vocês nesse novo momento, nos faz acreditar que vamos viver no Brasil. Mas esse não é o único vírus que mata e que precisa ser combatido, mas sim o vírus do reacionarismo, da antidemocracia, da não-ciência, do fundamentalismo, do Bolsonaro e do Ratinho. Mas pra esse vírus aqui no Paraná nós já temos uma vacina e que está anunciada, e é Roberto Requião”.

João também fez uma homenagem ao 28 de outubro, dia do Servidor Público, lembrando os investimentos que faltam no Estado. “São trabalhadores que merecem todas as nossas homenagens e aqui está o governador que melhor tratou os funcionários públicos do Paraná. Não é que hoje falte dinheiro, mas falta gestão. Falta voltarem os olhos para o que importa. Só aqui na nossa região temos mais de 60 mil pessoas a margem da linha da pobreza, vivendo com menos de 500 por mês. Isso é um crime, um absurdo, injustificável, e precisamos de todos os senhores e senhoras, pra mudar essa situação. Aqui de Guarapuava, Requiao, você terá essa gente bonita te apoiando. Volte, vença pra reconstruir o Paraná.


Neusa Scoss, presidenta do PT de Guarapuava, falou sobre a perda de direitos da população e dos desafios que precisam ser enfrentados pela frente.


“Estamos com medo da fome, dos direitos perdidos, da dignidade perdida. Mas esse medo sempre foi acompanhado de esperança. E Requião sempre esteve ao nosso lado, nesse período todo. Hoje esse medo se transforma em esperança, porque quando elegermos Requião novamente teremos de volta muita coisa que a história já nos proporcionou. Ele sempre ajudou muito os pequenos empresários, os pequenos agricultores, e a gente torce pra que isso aconteça novamente. Você fez uma história bonita, Requião e podemos reviver tudo isso, mais uma vez”.

Juninho Taques, do PCdoB de Guarapuava, também destacou o papel de liderança do ex-Governador Requião e da indignação que toma conta de toda população na atualidade.


“Hoje é um grande dia, porque temos mais uma oportunidade de debatermos os projetos que a gente de fato precisa para o Paraná. E hoje ainda mais, porque é dia do Servidor Público, que ganha um presente com a cassação do mandato do Francischini, um dos responsáveis pelo massacre aos servidores estaduais do Centro Cívico, em 2015. Também queria deixar registrada nossa indignação com o Governo Federal que sequer está pagando a bolsa dos estudantes, há um mês em atraso. Vamos a luta!”

Para o Presidente do PDT, Sérgio Niemes - o professor Serjão, o saudosismo toma conta dos paranaenses justamente porque no somente no Governo Requião teve programas que valorizavam as pessoas.


“Temos muitas saudades de quando o Requião foi Governador, porque ele valorizava as pessoas, os funcionários públicos. Hoje o Paraná está à deriva. Por isso nós estamos juntos deste movimento, desta caravana, pra somar, pra multiplicar esses contatinhos, linguagem muito popular nos dias de hoje na internet, que simbolizam apoios de verdade. Mas não só aqui em Guarapuava, e sim em todos os municípios da região Centro Sul. Em nome da valorização do pequeno agricultor, do pequeno comerciante, dos pequenos empresários, dos educadores, dos servidores públicos, em nome do povo do Paraná, volta Requião!”, clamou.

Valmor Stédile, Secretário Estadual do PDT do Paraná, reforçou seu apoio ao nome de Roberto Requião para concorrer ao Governo no próximo ano, independente do partido que ele escolher se filiar.

“Você sabe, Requião, que nós do PDT estamos com as portas abertas para você ingressar no nosso partido, mas independente disso, saiba que iremos te apoiar. Porque o mais importante é estarmos juntos e temos a satisfação de participar dessa reflexão, dessa caravana, para a construção de uma frente ampla e combativa. Vamos formar uma grande chapa. E saiba que vamos respeitar a sua decisão, seja qual ela for”.

Em nome dos Sindicatos, Alexander Menezes, do SintCom, destacou o momento de coragem e reconstrução que precisa o Paraná.


“Temos uma grande missão e nós confiamos no nome do Requião para que faça essa condução, dessa mudança que tanto precisamos. Para que a gente consiga reverter essa desconstrução que foi tomado nosso país. Falo em nome dos trabalhadores dos Correios, uma empresa que está sendo sucateada e ameaçada de venda. Que atende a todos os 399 municípios paranaenses, e muitos deles ficarão sem esse serviço. Mas chegou a hora da virada! Chegou a hora da demonstração de que somos capazes de acabar com esses crimes, com o desmonte da nossa cidadania, da nossa dignidade”.

Cris Souza, militante do Levante Popular da Juventude, fez duras críticas ao governo Ratinho Júnior, a falta de oportunidades de trabalho aos jovens.

“Nossos jovens hoje vêem como única alternativa o trabalho informal, sem garantia de qualquer direito. Ratinho Júnior ainda nos massacra com uma espécie de domesticação ideológica, implantando a doutrinação cívico militar, adquirindo uniformes superfaturados por empresas envolvidas em escândalos em todo país. Não há investimento na escola pública e a situação se agrava, quando as nossas universidades começam a tratar o ensino como mercadoria.

Joel Gross, da Aprosserra, falou da importância do movimento e do apoio que precisam para projetos voltados à sustentabilidade e a preservação do meio ambiente.

“Nossa associação é nova, somos aproximadamente 350 famílias, mais de 1200 pessoas, e a maioria sem acesso a energia elétrica. Queremos um projeto que pense na preservação ambiental, que entenda a necessidade da nossa luta, que apresente um plano de sustentabilidade. E temos a certeza de que, com Requião, teremos as portas abertas para que o Governo compreenda a necessidade da preservação ambiental”.

Nelson Preto, do MST do Paraná, que destacou a miséria que assola a população da região de Guarapuava.

“A pobreza aumenta, tanto no centro da cidade quanto no campo. Precisamos de uma reforma agrária urgente nesse país. Aqui temos acampamentos e assentamentos prontos para te apoiar, Requião, porque sabemos que essa é uma chance de transformação”.

Márcio Kieller, presidente da CUT Paraná, lembro os programas implantados pelo Requião em seus três mandatos no Estado, como o Bom Emprego, Panela Cheia, Trator Solidário e outros projetos sociais que atendiam de fato a população.

“Somos mais de 600 mil trabalhadores no Estado do Paraná esperando essa mudança, o resgate de um Estado que tinha programas sociais que atendiam a população. Precisamos retomar as políticas públicas para os trabalhadores do campo e da cidade, dos movimentos sociais que precisam ter condições de produzir, e de todos os paranaenses para resgatar a nossa dignidade. Não podemos investir todas as nossas moedas na produção de soja, mas acreditar no potencial da agricultura familiar e na produção dos pequenos agricultores. Era política de Estado acabar com a fome”.

Márcio ainda lembrou o 28 de outubro, dia do servidor, que comemora hoje a cassação do mandato de quem foi o algoz do massacre dos professores do Estado, no Centro Cívico, em 2015. “Queremos um Paraná diferente, por isso estamos aqui com todas essas entidades, pedindo a volta do governador Requião. Nós precisamos resistir a entrega do nosso patrimônio, contra as privatizações e mostrar para o Brasil que precisamos de um banco público que invista nas pessoas; precisamos dos Correios e de entidades públicas que atendam nossa população”, finalizou.

O Professor José Cliceu parabenizou a iniciativa da Caravana que semeia uma vitória possível nas eleições de 2022, levando o nome do experiente Roberto Requião.

“Estou muito feliz de estar aqui, sou pai de família, trabalhador, pessoa de bem, e nós, professores, sempre falamos, que lutamos pela justiça. Só falar que vai apoiar o Requião não adianta, precisamos pedir votos, correr atrás e eu coloco o meu nome à disposição pra isso, mesmo que eu sofra perseguição. Vou correr atrás de votos pra você, Requião, aqui em toda região central do Paraná”, garantiu.

O médico e ex-vereador Dr. Antenor de Lima também declarou seu apoio incondicional ao nome de Requião para concorrer ao Governo do Paraná em 2022.

“A luta social tem que ser baseada na biografia. Não se constrói nada da noite para o dia sem trajetória, sem caminhada. Por isso, Requião, é com muita tranquilidade, que digo que lutaremos até o último momento para sua eleição. Muitos de nós não imaginávamos que teríamos que lutar tanto de novo para reconquistarmos nossos direitos. Mas estamos com você nessa caminhada, inspirados principalmente na sua experiência, no seu legado, na sua biografia!”

Cris Wainer, vereadora do PT de Guarapuava, foi breve e objetiva, pois o momento agora pede união de forças políticas pela retomada dos direitos perdidos neste governo.

“Precisamos que vocês nos representem na luta para derrubar a PEC 32 que quer acabar com o serviço público, com o SUS, com a educação pública e nos não vamos deixar. Viva a classe trabalhadora”.

A vereadora e professora Bia Neves, do MDB de Guarapuava, enalteceu o papel de liderança exercido pelo deputado Requião Filho e pelo pai, o ex-governador e ex-senador Roberto Requião. Disse que ambos são inspirações para ela que entrou para a política por influência dos dois.

“Fui professora e diretora de escola, onde pude acompanhar sua excelente gestão no Paraná, Requião. Nos sentíamos valorizados, tínhamos investimentos na infraestrutura das escolas, havia a realização de concursos públicos, foi realizada a unificação de padrão e inúmeros cursos de formação, o PDE - hoje sem continuidade, que permitia que os professores desenvolvessem estudos significativos para a sociedade. Vocês são exemplos de política, sou fã. Aprendo muito com você, Requião Filho. E com vocês, tenho certeza, será possível fazer a diferença nessas próximas eleições, por todos que nem sempre tem voz. Meu carinho meu respeito, contem sempre comigo”, declarou.

Terezinha, Vereadora do PT de Guarapuava, destacou em sua fala o papel das mulheres que podem fazer a diferença nas próximas eleições.

“Nós, mulheres, podemos eleger Roberto Requião novamente, somos 52% do eleitorado paranaense. Está nas nossas mãos e podemos decidir o futuro, como mulheres cidades e eleitoras que somos. Foi o melhor governador do Paraná e desejamos que tenha muita saúde e muita força nessa jornada, muita disposição a todos para fazermos a campanha, que não vai ser fácil, mas temos condição de vencer e vai depender de muita disposição de cada um e cada uma que está aqui hoje”, cobrou.

Israel Santos, Presidente da Câmara Municipal de Pinhão, destacou a coragem do Requião e que serve de inspiração para a juventude.

“Essa coragem do Requião precisa ser transmitida para cada um de nós, para saber o que nós queremos para o futuro. Precisamos rever toda essa conjuntura imposta por esse governo Bolsonaro aliado ao Ratinho Júnior”.

Tadeu Veneri, Deputado Estadual do PT do Paraná, também destacou o papel da juventude como movimento que fará a diferença no futuro. Mas lembrou que é preciso que os jovens sigam os bons exemplos de pessoas como o Requião, que representa hoje uma ponte para a esperança. Lembrou também dos atos sofridos pelos servidores no 29 de abril de 2015 e comemorou a cassação do mandato do deputado Francischini (PSL), juntamente hoje, no dia do Servidor Público.

“Achávamos que aquele então Secretário de Segurança que ficava sobrevoando o Centro Cívico enquanto estávamos levando bombas, nunca seria punido. Mas hoje é aquele povo está aqui, firme e forte. Por isso, não vamos recuar, nem desistir, nem desanimar. Queremos Requião Governador, Lula presidente e Bolsonaro na cadeia. Bola pra frente moçada”.

O Deputado Estadual do PT do Paraná, Professor Lemos, também lembrou os programas realizados por Requião quando foi governador e sua trajetória em defesa da população.

“O Requião, hoje, é a nossa esperança para reestabelecer serviços públicos de qualidade para nossa gente. Nós temos o direito de sermos felizes de novo. O Requião, lá em Brasilia, nunca nos envergonhou, votou ao lado do povo brasileiro contra as reformas que nos retiraram direitos, e votou contra o golpe que levou o Brasil a esse caos. Queremos de novo um Paraná e um Brasil justos, que coloquem a vida acima do lucro”.

Para o Deputado Estadual do MDB Requião Filho, o Paraná tem pressa e precisa aproveitar essa experiência de Requião para aprender e consertar o que foi destruído nos últimos anos. Agradeceu o carinho com que foi recebido em Guarapuava e destacou que é por esse motivo que a política vale a pena e faz sentido em sua vida.

“Não fazemos política para sermos deputados, para estarmos deputados, mas para mudar a realidade das pessoas. E o Paraná segue uma realidade lenta, apática, parada, esburacada… Mas nós temos pressa! Nós precisamos de experiência pra consertar, e por isso não dá tempo de esperar alguém aprender a governar para transformar a realidade. Estamos trabalhando todos os dias para construir um programa de governo sem favores, sem propagandas, sem promessas. Vamos fazer melhor o que já fizemos. E eles vão prometer o que não fizeram, porque se não fizeram nada até agora não vão fazer depois.”

E finalizou elogiando a atuação das mulheres na política, brincando que os homens não deixam ter mais mulheres na política porque elas seria melhores do que eles. E parafraseando Eduardo Galeano, afirmou: "O machismo é o medo que os homens tem, das mulheres que não tem medo."

Por sua vez, o Deputado Federal do PT, Zeca Dirceu, falou da força que a Caravana vem demonstrando e da esperança que representa nesse momento de adversidades, de uma crise econômica sem precedentes, de miséria, fome e desemprego.

“A fé e a coragem têm muita importância. Todo encontro que fazemos é um novo momento de reflexão. Temos q fazer isso hoje aqui, nessa noite. E reconhecer que Requião sempre teve lado, sempre esteve ao lado do serviço publico, dos trabalhadores, da defesa do Brasil nação, de um Paraná que use suas riquezas a favor do povo e não para palanque eleitoral e agradar acionistas na bolsa de valores, banqueiros, concessionarias de pedagio e tantos outros absurdos que infelizmente acontecem no nosso Estado. Estamos com fé, convicção e confortáveis ao seu lado, Requião, precisando da sua participação nesse processo de transformação, por isso estamos juntos nessa caminhada”.

A Deputada Federal e Presidenta do PT Nacional Gleisi Hoffmann não pode estar presente, mas encaminhou um vídeo que foi exibido na Câmara Municipal de Guarapuava. No texto, a parlamentar falou do desafio que representa a disputa ao Governo do Estado, declarou mais uma vez seu apoio incondicional ao Requião, e da coragem que o Paraná precisa para ser novamente um destaque positivo no país.

“Aceite esse desafio, Requião, para disputar esse governo, para mudar essa mesmice, de um estado que tem tantas qualidades, mas não se coloca no cenário nacional. Precisamos de ume estado que leve seu desenvolvimento ao país. Não pode servir a um pequeno grupo de interesses, mas a todo povo. Você se torna a esperança do Paraná. Estamos sempre na luta, não podemos desanimar, o povo precisa de nós”.

Roberto Requião não escondeu a alegria e o entusiasmo de estar diante de um grupo tão unido, empenhado na formação de uma frente plural para concorrer às eleições do próximo ano. Mas lembrou que, o principal de tudo, é que todos os seus apoiadores compreendam em profundidade o que acontece em nosso país. E novamente, assim como nos demais encontros da Caravana, deu aula:

“Estamos tentando trazer a vocês um pouco de entendimento da nossa situação. Eu vejo famílias assando pés de frango no fim da semana, catando ossos para comer, sem emprego e sem trabalho. Um momento extraordinariamente difícil. Retiramos o petróleo do nosso solo, das refinarias, com mão de obra de brasileiros, e vemos o preço espantoso dos combustíveis sendo cotados em dólares, sacrificando famílias no Brasil inteiro. Temos uma profunda insatisfação com essa realidade! A agricultura familiar precisa ser valorizada para colocar comida no prato das nossas famílias. O que está acontecendo com o Brasil, precisamos entender essa realidade em profundidade para poder transformá-la”.

E seguiu: “Temos que entender tudo isso porque a nossa reação, no próximo ano, tem que ser embasada a partir do conhecimento, do entendimento da infâmia que é a exploração do trabalho, da entrega da soberania do país. As empresas públicas não servem mais a população quando têm suas ações vendidas no mercado externo. Os acionistas querem dividendos, e sequer sabem onde fica o Paraná. Eles entram num fundo de investimentos e aplicam sem saber se o Estado existe. E querem o que? Desenvolvimento? Eletricidade abundante e barata? Não, querem apenas aumentar seus rendimentos. Aumentam as tarifas e diminuem os investimentos. É uma infâmia! Os correios também passam pela mesma situação. Nós não podemos transformar tudo isso num negócio. E vocês precisam entender o que é esse tal de liberalismo. Isso é falta de amor, falta de identidade, falta de uma relação mais íntima com a população, falta de fraternidade”.

Requião lembrou dos anos de luta contra o pedágio, e de batalhas que travou em defesa dos agricultores, dos diálogos com os movimentos sociais, com o MST e outros. Destacou frases do Papa Francisco em defesa da terra, que deve servir para viabilizar a nossa felicidade, a subsistência de todos os seres humanos.

“Sou um nacionalista e progressiva, que acompanha os movimentos que acontecem no planeta e quero, com isso, tirar as experiencias positivas. A geopolítica não pode comandar o Brasil. É claro que não to aqui propondo uma revolução. Quero que possamos construir um programa que não seja temerário e ousado demais, ou insustentável, mas que não tenha a covardia de fazer uma aliança com a direita exploradora, insensível, sem identidade com a população, sem fraternidade e sem amor na sua militância. Precisamos um programa sustentável. Peço que todos coloquem suas propostas e elas serão analisadas e decididas. Não pode ser de outra maneira!”

Requião acredita que esse movimento da Caravana, que reúne vários partidos, só terá força se houver apoio a um único candidato para derrotar o bolsonarismo, no cenário nacional. E falou que uma boa gestão do Estado só será possível se tiver bom diálogo com o presidente da República.


“Eu faço política falando a verdade, essa é a melhor forma de fazer politica. No momento, o melhor candidato é o Lula, mas precisamos afastar dele das “sereias da direita”, que falam que o caminho não é dar terra aos brasileiras, mas vender aos estrangeiros, de forma que nosso povo seja transformado num povo semi escravizado”.


E cobrou a criação de um programa conjunto e transformador para o Estado do Paraná.


“Tenho condição, eu sei como corrigir de forma brutal os erros desses últimos governos. Mas nós temos que, definitivamente, elaborar e colocar o nosso programa. Fico entusiasmado quando vejo que vocês encheram essa Câmara Municipal de Guarapuava, envolvidos pela mesma indignação de quem vê hoje o povo passando fome, sem emprego, com seus direitos liquidados, aposentadoria fulminada,. Vamos transformar esse movimento para corrigir os erros do Paraná para dar um destino firme e certo ao país. Um governo com identidade, fraternidade e amor às pessoas”, encerrou.

Galeria de Fotos: (Créditos: Eduardo Matysiak)


537 visualizações