Buscar
  • Requião

1º de Maio também comemora salário mínimo regional no Paraná


Imagem

O Paraná foi o terceiro Estado a criar seu piso próprio, depois do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. A iniciativa, desde o início, contou com apoio dos trabalhadores e também dos empregadores. E rapidamente aqueceu a economia paranaense. Em novembro de 2006, o IBGE mostrou que as vendas no comércio varejista do Paraná tinham aumentado em 9,73% em comparação ao mesmo mês de 2005.

Em 2007, Requião propôs um reajuste de 8,5% ao piso regional, que passou a ser de R$ 462 a R$ 475,20. Na época, o salário regional do Paraná era 25% mais alto que o salário mínimo nacional (R$ 380). “A idéia do salário mínimo regional veio das bases sindicais, mas foi fortemente apoiada por deputados das bases de apoio do governo. Este salário mínimo regional é uma referência para a negociação das categorias sindicalizadas, mas é uma garantia para as categorias que não tem sindicato”, disse Requião.

Em 2008, o valor do salário mínimo regional foi reajustado em 15,27%, ficando entre R$ 527 e R$ 547,80, valor 32% maior que o salário mínimo nacional. Foi o maior piso salarial do Brasil naquele ano.  “O importante é chegar a um piso que seja o melhor para o Paraná. Que seja um valor praticável e que continue alavancando a geração de empregos”, disse Requião em conversa com trabalhadores e empresários.

No ano seguinte, o reajuste foi de 14,9% do salário mínimo regional do Paraná. As faixas salariais variaram entre R$ 605,52 e R$ 629,65. Segundo projeções do Dieese para o ano, o piso atenderia 468 mil trabalhadores formais e representaria um potencial de impacto de R$ 754,4 milhões na economia do Estado. “O piso foi implantado há três anos e nesse período recuperamos as perdas salariais em relação aos Estados do Sul. Éramos o Estado que tinha as maiores perdas salariais e hoje já estamos equiparados ao Rio Grande do Sul e Santa Catarina”, declarou o presidente da Força Sindical, Sérgio Butka.

Em 2010, o salário mínimo regional do Paraná passou a ser 50% maior do que o salário mínimo regional. As faixas salariais foram para R$ 663 a R$ 765. Além da implantação do mínimo regional, Requião criou uma série de programas e ações para impulsionar a economia. Durante os oitos anos de seu governo, o Estado gerou mais de 800 mil empregos com carteira assinada, contra 37 mil empregos criados nos oitos anos da administração de Jaime Lerner.

Confira a evolução do salário mínimo regional do Paraná 2006 – R$ 427 a R$ 437,80 (ano de implantação) 2007 – R$ 462 a R$ 475,20 2008 – R$ 527 a R$547,80 2009 – R$ 605,52 a R$ 629,65 2010 – R$ 663 a R$ 765 2011 – R$ 708,14 a R$ 817,78 2012 – R$ 783,20 a R$ 904,20

0 visualização